Mentes Lúcidas

Quando o racional fica em silêncio e vive no conformismo, torna-se parte do problema e perde a total credibilidade da razão

As energias renováveis no Brasil e sua política de diversidade energética.

Deixe um comentário

Em 1992, foi realizada, no Rio de Janeiro, a histórica Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, conhecida popularmente como Cúpula da Terra. Em junho deste ano, também no Rio de Janeiro, um novo encontro reuniu países para discutir os progressos dos últimos 20 anos e futuros desafios a serem enfrentados pelo planeta: a Rio+20.

Imagem

Representantes da WWF, Greenpeace, as manifestações populares, poucas, mas presentes, afirmavam que o Brasil poderia estar perdendo a liderança na responsabilidade ecológica global, dizendo que a “aprovação do texto é mais um reflexo de que o Congresso não estaria acompanhando a opinião pública”, depois que a Câmara dos Deputados aprovou o novo Código Florestal em Abril.

Pois bem, estamos tão atrasados no desenvolvimento da tecnologia e ciência. Em comparação com outros países, nos EUA, as energias renováveis representaram 50% da nova capacidade elétrica instalada em 2009, enquanto na Europa esse número foi ainda maior, 60%.

A China aparece como o grande motor para as energias renováveis. O país instalou 13,8 GW de eólica em 2009, mais de um terço de toda a capacidade eólica instalada no mundo, 38GW. Além disso, o gigante asiático entrou com força no mercado global de produtos energéticos verdes, produzindo cerca de 40% de todos os painéis fotovoltaicos do mundo e 30% das turbinas eólicas.

Em 2011 o EUA e a China, que são os grandes vilões porque emitem quantidades elevadas de gases poluentes em decorrência de tantas indústrias, investiram cada um, aproximadamente, R$50 bilhões em infraestrutura e energias alternativas, já o Brasil, apenas R$8 bilhões, e esse investimento, em usinas eólicas que não podem ajudar porque o planejamento não permitiu construir linhas de transmissão, ou seja, temos usinas, mas insuficientes e sem condições de distribuição da energia final.

A Alemanha é o número um no mercado mundial de energia solar. Representa 55% da produção de electricidade solar global e vem crescendo ainda mais. No começo deste ano bateu recorde, em 2 dias gerou 22 gigawatts (GW) de eletricidade – o equivalente a produção de 20 centrais nucleares em capacidade total, supriu cerca de 50% das necessidades do país, todas usinas nucleares serão fechadas até 2022 e já estão sendo substituídas por usinas de energia renovável, que utilizarão fontes como biomassa, vento e luz solar, onde 20% da eletricidade usada durante um ano pelo país é produzido por essas fontes.

O Brasil tem o quinto maior território do mundo, com quase 8,5 milhões de Km2 onde vivem mais de 200 milhões de pessoas, o que o torna o quinto país mais populoso do mundo. A principal fonte de energia são as usinas hidrelétricas que correspondem a 70% da matéria energética no Brasil e as usinas termelétricas a óleo, carvão e biomassa para suprir a demanda. Esta última menos poluente, porém, menos vantagens ainda do que eólica, solar e movimento das marés. Há discussões, apesar de não ser consenso, acredita-se que hidrelétricas causam impactos bem maiores, por desmatar e alagar uma área muito grande, em comparação com termelétricas.

As usinas termelétricas movidas a óleo combustível tiveram que ser acionas para poupar os reservatórios das usinas hidrelétricas afetados pela seca principalmente no Nordeste. As termelétricas estão sendo usadas na sua total capacidade, são extremamente de custo elevado, aproximadamente 38% da energia térmica colocada na usina pelo combustível torna-se aproveitável como a energia elétrica e são poluidoras porque usam combustíveis fósseis. Depois do apagão de 2009 o governo deveria ter investido mais na diversificação da matriz energética.

Temos usinas eólicas no Nordeste, mas não podem fornecer energia, devido o planejamento extraordinário do governo em construir as usinas, mas não as linhas de transmissão. A expectativa é que as chuvas de verão ajudem a recompor os níveis dos reservatórios, caso contrário, as termelétricas movidas a óleo funcionarão por mais tempo, o que tornará as tarifas de energia mais cara em 2013.

As termelétricas custam R$ 1000 Megawatt-hora (MWh), enquanto as usinas hidrelétricas R$50 MWh. De acordo com o professor do Instituto de eletrotécnica da USP, José Goldemberg, o perigo real é que a estiagem continue, as hidrelétricas não se recuperem e que não tenha mais termelétricas para utilizar. Estamos dependendo ainda de São Pedro ou dos brasileiros alienados consumistas.

Na exploração do pré-sal com imensas reservas de petróleo, embora temporária, ainda assim o Brasil é um grande importador de combustível. As mudanças regulatórias para o pré-sal é o resultado de uma paralisação dos investimentos no setor principalmente na infra- estrutura, pois muito se falou e pouco se fez. Como não temos investimentos nos planejamentos de uma logística eficiente de distribuição, estamos à mercê de um factual risco em apagão de gasolina no país neste fim de ano. O consumo de combustíveis cresce no período das férias, precisando de mais canais de distribuição e tanques de armazenamento, e sem investimentos, há uma necessidade de importação muito maior. Com um alarme de autossuficiente em petróleo, é mais um apetrecho de manipulação dos políticos corruptos ou incompetentes, até não sei, entre estes dois adjetivos qual o mais certo ou se ambos caracterizam de uma vez os ‘’eleitos pelo povo’’.

 

Os dados de referência:
– Os documentos do “Global Trends in Sustainable Energy Investment 2010” e “Renewables, 2010 Global Status”
– Organização UNEP
– Jornal da Cultura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s