Mentes Lúcidas

Quando o racional fica em silêncio e vive no conformismo, torna-se parte do problema e perde a total credibilidade da razão

O preconceito às diferenças

Deixe um comentário

           A religião, as ceitas, toda a espiritualidade e o misticismo, surgiram de pensamentos e imagens subjetivas de pessoas que entregues na solidão de um bar no período medieval ou até nas realizações de sacrifícios de animais e pessoas nos desertos da antiguidade, localizados no oriente médio e Península do Sinai, onde até relatos descritos em livros históricos e pergaminhos, papiros, de peregrinações, guerras e milagres ocorridos. Ainda lembrando que na época da pré-história os homens de Neandertal praticavam a dança da chuva e nas cruzadas que culminaram em invasões (descobertas) de terras habitadas por índios que reverenciavam espíritos das florestas e de animais. Mas o que quero ressaltar é o que ouço diariamente esta frase: O mundo parece estranho ou realmente está estranho – apontando como referência os resultados desastrosos irresponsáveis após a divulgação do filme de Maomé. O problema disso tudo não é a religião e crenças porque isso tudo faz as pessoas creem em algo possibilitando um objetivo de vida. Tudo isso é ridicularizado nos tempos modernos, os quais não estão “estranhos’’, mas sim, o modo como lidamos com este novo modo de vida, como nos relacionamos, é que estão “estranhos’’. Já se foi o tempo da revolução industrial, quando as máquinas eram mais importantes que as pessoas, hoje em qualquer empresa o que se vende é o conhecimento humano, sua forma de relacionamento, a qualificação para criar e resolver desafios.

           O mundo gira, os ventos levam a poeira e as folhas caem e desaparecem na terra fofa, mas os indivíduos “racionais’’ vivem como viveram os seus ancestrais, e ainda da pior maneira que seja, envolvendo agora política e religião, impactando diretamente o material e espiritual, ateus e crentes. Trilhamos caminhos diferentes mas sempre com uma finalidade em comum, um objetivo específico, uma luz no fim do túnel, entretanto, damos início a guerras, massacres, meras discussões corriqueiras, tudo porque não aceitamos o diferente. Muito mais do que discutirem uns com os outros, prestem serviços de utilidade social, foram todos criados a ovomaltine e pera, dominados pelo mercado do entretenimento e outros pelos tiranos com suas pregações de influencia preconceituosa e cheia de raiva.

200069844-001

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s