Mentes Lúcidas

Quando o racional fica em silêncio e vive no conformismo, torna-se parte do problema e perde a total credibilidade da razão

A situação da agricultura no Brasil

Deixe um comentário

seca_solo_terraAs regiões tropicais, atualmente, são as zonas de preocupação mundial, por serem anualmente mais populosas, porém apresentam a menor taxa de produção alimentar do mundo. É possível produzir colheitas altíssimas em solos abandonados, com técnicas simples, adaptadas ao nosso clima e por preços menores que os costumeiros.

No cerrado pode utilizar adubação, mas dependemos muito da importação destes materiais. Pode se usar técnicas de irrigação em terras subúmidas e semi-áridas, entretanto, há um custo alto para isso de acordo com a biofísica adequada. A salinização é o problema máximo e as instalações de estrutura são o maior custo.

As técnicas que visam o aumento da produção somente são viáveis quando este aumento for econômico e racional. Do contrário não permitem lucro e os problemas rurais se agravam. Tecnologia não adaptada nunca maneja, mas sim força a natureza a obter resultados nada expressivos em vez de compensadores.

A produção de alimentos aumenta no Brasil com novas incorporações de áreas, as quais são áreas restritas a algumas culturas. Com um crescimento produtivo horizontal e não vertical, não consegue elevar o lucro nem baratear a produção, apenas garante, por enquanto, a exportação, mas em ritmo variável pouco expressivo e ainda os custos da produção elevados, por exemplo: mão-de-obra, máquinas, use de defensivos, adubação, aquisição de sementes.

Assim fica evidente que as técnicas atuais são insatisfatórias para o solo tropical. Estes mesmos não são incapazes de produzir colheitas altas, porque, se assim fosse, não poderiam apresentar rendimentos muito elevados quando novos em culturas; a tecnologia importada de zonas temperadas não é apropriada para os solos tropicais e deveria ser modificada.

Referência

PRIMAVESI, A. M; Manejo ecológico do solo: A agricultura em regiões tropicais. Nobel, SP. 2002, p. 8-10.

Leitura complementar:

O silêncio da sociedade sobre Blairo Maggi na Comissão de Meio Ambiente do Senado

Agronegócio x Agricultura Familiar: podemos fazer um debate menos maniqueísta?

Agricultura familiar versus agronegócio: a dinâmica sociopolítica do campo brasileiro

Importação de fertilizante sobe 31% no semestre

Fabricantes querem taxar importação de adubos

Agricultura familiar: Faltam incentivos para que a biotecnologia germine no campo

La Agroecología como alternativa al paradigma de la agricultura convencional

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s